Pesquisa estuda aneurismas cerebrais com técnica computacional

Resultado de simulação de um aneurisma.

O Projeto de Pesquisa do docente de Engenharia Mecânica da Unesp (Universidade Estadual Paulista), José Luiz Gasche e seus colaboradores estudam o escoamento de sangue em aneurismas cerebrais, empregando a técnica da dinâmica de fluidos computacional. Com o objetivo de prever os riscos de ruptura de aneurismas por meio de estimativas numéricas dos campos de pressão e velocidade, para auxiliar os médicos a tomarem decisões mais acertadas, com relação ao tratamento de pacientes. O projeto conta com o apoio da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Entretanto, o risco de ruptura de um aneurisma gera conseqüências clínicas graves, visto que a taxa de mortalidade é elevada, além de gerar danos permanentes aos pacientes. Atualmente, os médicos tomam decisões sobre o tipo de tratamento usando apenas o tamanho do aneurisma como parâmetro: se o aneurisma for pequeno, os médicos apenas acompanham a sua evolução; se o aneurisma for grande, os médicos geralmente intercedem por meio de cirurgias ou inserção de stents, ou seja, uma endoprótese expansível.  O grande problema são os sérios riscos que esses tratamentos apresentam aos pacientes.

Aneurisma cerebral é a dilatação anormal de uma artéria que irriga o cérebro, geralmente localizado nos pontos mais frágeis em que ela se bifurca. Pode se romper e causar uma hemorragia cerebral ou permanecer sem estourar durante toda a vida. No geral, tem origem associada ao uso do tabaco, infecções e trauma; sendo alguns casos de origem congênita. Se o aneurisma se rompe, então ocorre sangramento para o espaço que está ao redor do vaso, conhecido por hemorragia subaracnóidea.

Aproximadamente 2% a 5% da população mundial adulta têm algum tipo de aneurisma cerebral. Doença que dilata artérias superiores a 1,5 vezes o seu diâmetro natural. A maioria dos casos não causa sintomas e não gera problemas graves.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*