Prefeitura muda critério e população pagará menos por remoção do lixo

O prefeito Marquinhos Trad anunciou nesta terça-feira (21) que irá priorizar a  justiça social, e a Prefeitura de Campo Grande irpa alterar os critérios de cobrança da taxa de coleta de remoção e destinação de resíduos domiciliares, o que resultará em redução no pagamento para 60% da população.

A mudança corrige distorções da regra atual, onde parte da população chega a pagar até 1/3 a mais pela coleta.  Pela cobrança atual, um morador do Centro, com imóvel de 45m², paga R$ 1,92 por m² ao ano, enquanto alguém que reside no Damha, em uma casa de 1.500 m², por exemplo, paga R$ 0,37 o m² por ano.

“Hoje a cobrança é socialmente injusta. Estamos corrigindo de uma forma que atenda a capacidade da população de contribuir, levando em conta o perfil socieconômico de cada região da cidade”, explicou o prefeito Marquinhos Trad.

O secretário de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto, cita como exemplo um imóvel de 50m² na região do Coophavilla II, Centenário, Los Angeles, Caiobá ou Centenário. Pela regra atual, esse morador paga R$ 96 por ano pela remoção. Com a nova lei, este valor será de R$ 47,25, com redução de 50%.

A nova cobrança leva em conta o tamanho da residência, tipo de ocupação (terreno, residência, comércio ou público) e o perfil socioeconômico imobiliário de cada bairro de Campo Grande.

O projeto está em tramitação na Câmara de Campo Grande, que também decidirá se a cobrança passará a ser feita na conta de água, o que permitiria o parcelamento deste valor. Todavia, por conta do tempo, neste ano a cobrança ainda será feita no IPTU, mas já com os critérios de justiça social implantados pela atual gestão.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*